O que é machismo?

| 10 comments
por Deyvson Moutinho
Título original: O que é ser machista?
Site Reflexões Masculinas


Quando uma mulher chama um homem de machista é sempre em tom de ofensa, e essa palavra é utilizada nas mais variadas situações, sendo que pode significar qualquer coisa e nada ao mesmo tempo. É frequentemente associada a homens com valores mais tradicionais, mas também é utilizada para descrever bandidos que agridem mulheres, como se fossem idênticos. E não raro vemos essa palavra ser utilizada para qualquer comportamento natural masculino, como se ser homem em si mesmo fosse um comportamento a ser repreendido.

Essa confusão nasce do pressuposto errôneo, conforme a ortodoxia feminista, de que homens e mulheres são essencialmente iguais, quando não são (óbvio que homens e mulheres devem ter direitos iguais, o que questiono é a idéia de que não existam diferenças comportamentais entre os sexos). E não apenas isso, elas tomam como o ser humano padrão as mulheres, logo tudo que é masculino deve ser evitado, e não raro podemos ver como que o movimento feminista atrai facilmente homens efeminados. Já qualquer homem normal é repudiado, como não poderia deixar de ser, por ser machista.

Primeiramente devo esclarecer algo: as feministas acreditam que o machismo é uma “construção social”, não acreditam que os homens tenham uma natureza, acham que somos tábulas rasas que elas podem ensinar a pensar como elas. Não importa que toda a nossa educação seja feita por mulheres, muitas vezes fortemente influenciadas pelo feminismo ou valores modernos como um todo, elas ainda acham que quando um homem não age da forma que elas exigem é falta de que se pregue mais feminismo, que se pode mudar a natureza masculina através de doutrinações.

Concordo quando se afirma que os homens são mais violentos, agridem mulheres e outras coisas, não irei questionar isso. A taxa de homicídios contra os homens é 10 vezes maior do que contra as mulheres, mas concordo que as mulheres não matam os homens como os homens matam as mulheres. Porém não creio que mil anos de feminismo fariam diferença com relação a isso, a única coisa que pode reduzir esses comportamentos são punições severas para intimidar novos infratores, ainda assim isso nunca se resolveria de forma definitiva. Não se pode educar um homem para não ser homem, para não ter as características masculinas que em muitos pontos são louváveis, mas em outros leva a diversos comportamentos anti-sociais, ainda mais em uma sociedade onde há poucas oportunidades para os homens extravasarem seu lado mais violento de forma segura.

O feminismo não luta contra o machismo, ou seja, um comportamento masculino socialmente construído. Mas sim contra a própria natureza masculina, e essa palavra não tem outra função que essa, estigmatizar o comportamento natural masculino, e a forma de pensar masculina, a tornando essencialmente má. O machismo, enquanto “movimento social” não existe, é uma invenção feminista, simplesmente uma palavra criada para ofender. Nenhum homem se identifica como machista, e quando o faz é devido à frequentemente o comportamento masculino ser identificado como machismo de tal forma que é impossível ele ser homem e não se enquadrar no adjetivo machista.

Para uma feminista não há decisões pessoais, não existem pessoas, apenas a “sociedade”, como sendo uma espécie de ente abstrato com vida própria. Não é um homem, enquanto pessoa, que decidiu cometer um crime, e sim a “sociedade machista”, como se o machismo fosse uma espécie de força maligna que entra nos homens e obriga eles a fazerem coisas más, e não que um homem, enquanto indivíduo, decidiu realizar um ato violento. Dessa forma se você mata uma mulher você é machista, se você rejeita uma mulher promíscua, você é igualmente machista, facilmente colocando no mesmo patamar um valor masculino comum com um crime bárbaro.

Não é preciso dizer o absurdo que é chamar uma mulher de feminista só por ser uma assassina. Um homem se vê como indivíduo, dessa forma assume sozinho a responsabilidade pelos seus atos, assim como não culparia todas as mulheres pelo ato de uma. Mas uma mulher, caso seja feminista, verá no ato de um único homem entre milhões um problema social, e consequentemente culpará todos os homens. Dessa forma conseguem o malabarismo de transformar um único assassino em milhões de homens como uma representante do machismo, de modo que todos os homens viram um pouco assassinos pelo ato de apenas um.

Por fim, outro problema com essa estigmatização da natureza masculina é a crença de que os homens devam ter os mesmos valores que as mulheres. Uma feminista, enquanto mulher, vê como positivo o comportamento promíscuo em um homem, e não entra na cabeça dela como que um homem possa não ver como algo positivo uma mulher promíscua. Ou seja, entre a natureza masculina e a feminina, a feminina está sempre certa, logo o cara é machista, não passa de um estuprador ou um assassino em potencial só por não gostar de promíscuas. Não que todos os homens não gostem de promíscuas, esse é um exemplo entre muitos onde pode ser demonstrado que a raiva do tenebroso “machismo” não é nada além do que uma revolta contra a natureza masculina.

O machismo não mata e a sociedade não tem vida própria. Assassinos matam e a sociedade é composta de indivíduos com livre-arbítrio.

Em suma, o homem que fala o que pensa é automaticamente machista, o machismo é um termo inventado para demonizar a própria subjetividade masculina e o comportamento natural masculino como um todo. Não é atoa que é difícil alguém não ser gay e não ser considerado machista, pois somente os homens que pensam semelhante a uma mulher não são machistas.

___________
Defendo, sim, um machismo esclarecido, tolerante e consciente. Não poderíamos ir contra o machismo em si porque estaríamos indo contra nós mesmos. A expressão "machismo" provém da palavra macho e não implica intrinsecamente em opressão, exploração ou violência, como as feministas dogmáticas tentam, propositalmente, fazer parecer para confundir as pessoas e induzi-las a concluir que os machos são maus, violentos, opressores e perigosos por natureza.
-Nessahan Alita
A palavra “machismo” ainda causa revolta em muitas pessoas, devido à maneira (propositalmente) equivocada que as feministas disseminaram. Se consultar qualquer dicionário, provavelmente encontrará tais definições para o verbete machismo: “modos ou atitudes inerentes aos machos”; “aquele que é contra o feminismo”; “idéia de superioridade do homem sobre a mulher”.

Incrivelmente, a idéia mais difundida é a última, exatamente a que nós, machistas esclarecidos, repudiamos. Há que pense que machismo significa “ódio às mulheres”, mas isto se chama misoginia. Machistas não odeiam mulheres, quem as odeiam são chamados de misóginos. (...)

O machista esclarecido tem comportamentos de macho natural, mas também de homem civilizado. Ele não é aquele sujeito que arranja brigas apenas para provar sua coragem ou qualquer outro tipo de idiotice para demonstrar o poder de sua masculinidade.
-Lobo Sagrado
__________

CONCLUSÃO:
Machismo tem os seguintes sentidos:
1. Modos ou atitudes inerentes aos machos de sua espécie.
2. Idéia de superioridade do homem sobre a mulher; comportamento de quem não admite a igualdade de direitos entre o homem e a mulher.

Algumas pessoas, principalmente feministas, confundem os diferentes conceitos de machismo.

O machismo esclarecido rejeita o conceito 2.

Como diz Nessahan, "Aqueles que tentam controlar o comportamento alheio, cercear a liberdade, violar o livre arbítrio, obrigar o próximo a fazer o que não quer etc. estão bem longe de entender o que o machismo esclarecido propõe". O machismo que aceita o conceito 2 é o machismo dogmático.

O machismo esclarecido aceita o conceito 1, mas não de forma desenfreada.

Como diz Nessahan, "O homem nasce da vitória sobre o animal, sobre o instinto. Vencer o instinto não é enfraquecê-lo ou suprimi-lo, mas dominá-lo, transcendê-lo, dirigi-lo e usá-lo em nosso favor. Em uma palavra: assimilá-lo".

Machismo esclarecido é o machismo racionalsistematizado e justo.

10 comments

Anônimo 13 de agosto de 2012 05:05

Uma coisa importante a se ressaltar é que as feministas já estão se ligando que o pessoal tem estudado um pouco que seja sobre Valerie Solanas, Andrea Dworkin e outras que odeiam homens por eles simplesmente o serem. Miraculosamente surgem textos na base do "olha, veja bem, não é bem isso o que queremos dizer" tentando jogar cortina de fumaça nas reais intenções da ideologia em questão. Certa vez li o seguinte: "feministas não querem a extinção do homem, mas um homem moldado segundo o feminismo". É um daqueles textos que se espalham pela internet.
A frase em questão é bem emblemática, pois esconde em sua aparente inocência uma desumanização do homem que não for moldado ao feminismo, ou seja, se você pensa e questiona o feminismo, você não é visto como o suposto homem que elas querem. Logo, deixa bem claro que dizem defender a liberdade, mas fazem uma ameaça a quem pensar diferente. Caímos aqui na famosa democracia em que se opta pelo sim ou pelo sim, senhor, usando-se de mecanismos insidiosos para que não se caracterize como totalitarismo.

Também podemos considerar a frase citada como jogar cortina de fumaça sobre o próprio feminismo, uma vez que fala do movimento como um todo e como se esse todo fosse uno, quando bem sabemos que há enormes divergências internas, dentro daquele lance de a coisa que o revolucionário mais odeia ser outro revolucionário, com o qual disputará qual das revoluções é mais pura, o famoso expurgo pós-revolucionário que, de exemplo mais famoso, vitimou Trotsky. Logo, a que feminismo esse homem deve ser moldado? Obviamente que a nenhum, uma vez que sequer dá para saber qual seria.
Observe-se também no totalitarismo insidioso o uso do termo "moldado". Adaptado ao feminismo todo homem atual é e os mais safos fazem um populismo perante as mulheres e, na ausência delas, age em sua normalidade. Adaptação presume que algo tem um determinado formato imutável e se encaixará em outro algo via uma pequena alteração em um ponto de contato que não muda a essência geral desse algo. Já moldar diz-se de algo que se encaixa perfeitamente a outra coisa, não havendo margem para adaptação.

Portanto, um cara só ficaria moldado ao feminismo se lhe fossem dados somente livros e mais livros feministas para ler, informação só em fontes feministas, criação exclusivamente com feministas e frequência apenas em ambientes feministas durante o período de crescimento e formação da personalidade. E pergunto por que privar um garoto de conhecer outras fontes que não as feministas, bem como considerá-las válidas. Se é um movimento que diz defender a liberdade, então somos obrigados a pressupor que seja para também dar crédito àquilo que por elas for considerado machista.
E se há muitos feminismos, quem garante que aquilo que um feminismo considerar machista também o será por outro? Imagino eu que tenham entendido aonde chega a confusão dessa frase.

Fora isso, ninguém garante que o feminismo não queira mesmo a extinção do homem, pois tal frase pode ser simplesmente uma bandeira que, como tal, muda caso não seja conveniente em outro momento. Vide por exemplo Fidel dizendo que Cuba não seria comunista para depois mostrar algo totalmente oposto, sendo que ele próprio já chegou a criticar o comunismo antes da revolução, bem como ter enviado uma carta quando criança para a Casa Branca. Se nos circunscrevermos ao feminismo em si, teremos a bandeira do aborto, que originalmente não era defendida pelas militantes em questão.

CONTINUA

Anônimo 13 de agosto de 2012 05:05

CONTINUAÇÃO
Na tal frase também fica embutido que elas não querem tomar sua responsabilidade na dinâmica a dois. Só o homem é que tem de se moldar ao feminismo, sendo que elas não devem nem um pouco se moldar ao homem com quem estão. Observe-se aqui que elas creem ser o feminismo algo tão perfeito e inexorável que por si só fica estático e obriga que os outros sejam aquilo que a tal ideia supostamente perfeita é. Mas aí fica a pergunta: se são muitos feminismos, a qual dessas ideias perfeitas e inexoráveis devo me moldar? E por que uma mulher não pode fazer sua parte para pelo menos se adaptar àquilo que penso (observe-se que foi dito "se adaptar", não "se moldar")?
Sobre o que consideram machismo, a coisa vai além e chegam sim a considerar gays como machistas por simplesmente eles cuidarem mais do que diz respeito a seu universo do que aquilo que diz respeito ao universo lésbico. E qualquer que ser homossexual masculino é diferente de ser homossexual feminino, mesmo que fosse só para constatar que gays preferem boates e lésbicas, bares. Caindo no coitadismo, chegam até a considerar que lésbicas seriam oprimidas por gays. Esse é um dos motivos de terem mudado a sigla de GLS para LGBT, com o L indo para o início por causa da tal opressão. Porém, aqui também caímos na história de gays possuírem toda a fisiologia masculina, terem o gene SRY acionado desde a vida fetal e, como tal, terem tido o bombardeio de testosterona que gera mudanças na morfologia cerebral fazendo com que eles tenham também o hardware básico de criatividade, lógica e tomada de riscos que um homem heterossexual possui. Logo, chamam o homossexual de machista por ele simplesmente ter dado a cara pra bater no passado e ter acontecido o mesmo básico da dinâmica homem-mulher desde os tempos do primeiro Homo sapiens: homens desbravam, mulheres seguem pelo caminho desbravado. Por que as lésbicas que chamam gays de machistas não foram de cara para a linha de frente e abriram a mata virgem em vez de reclamar da trilha aberta anteriormente?

Portanto, note-se por aí que qualquer coisa que um homem faça será chamada de machismo, seja por haver muitos feminismos, seja por se recusar a levar uma mulher a reboque. Portanto, sequer dá para pensar em se moldar a algo que não tem um encaixe padronizado. Seria como trocar um plugue de tomada de padrão inglês por um de padrão paquistanês para querer encaixar em uma tomada de que ora é ABNT, ora é americano e ora é o que der na telha. Não havendo sistematização, não há como haver moldagem e no máximo irá se usar um adaptador, conforme explicado anteriormente.

Rafael 13 de agosto de 2012 11:15

Gostei muito desse texto, parabéns.

Jean Barreto | 6 de dezembro de 2012 14:55

Pow, vim procurar aqui o que é realmente o machismo. Contudo vocês falaram mais da definição errônea das feministas do que a própria definição de machismo. A única parte que fala melhor do machismo é do Nessahan Alita.

Refaçam, por favor.

Soldado | 7 de dezembro de 2012 00:00

Jean, acrescentei uma citação do Lobo Sagrado e uma conclusão. Acho que assim o post responde melhor à pergunta do título.

João da Rocha Labrego | 15 de dezembro de 2012 12:29

Nesse quesito masculino ou supostamente masculino de defender a fêmea eu sempre me escudei no ditad3o: o que é do homem bicho não come e se comer é porque não era bom para o homem.

Essa simples máxima evitou que eu me sentisse no dever de defender minha honra para a qual nunca encontrei nenhuma utilidade prática pois foi justamente a minha personalidade macunaímica ou amoral ou destoante da moral convencional que me fez tomar as melhores decisões na vida e que me conduziram a melhores caminhos.

Anônimo 29 de janeiro de 2013 23:33

Como eu não achei o seu email no Blog vou deixar um comentário aqui na esperança que você leia. Gostei muito do Blog, descobri ele hoje e queria ter lido isso tudo a muitos anos atrás, ainda estou lendo o conteúdo pois tem muita coisa, mas pode ter certeza que vou ler ele por inteiro, por ser muito esclarecedor, por favor continue o bom trabalho, nós, homens, precisamos de pessoas como você.
Abraço ae seu bosta.

Anônimo 28 de fevereiro de 2013 21:20

mas o feminismo matou muita gente e ainda mata. nem quero falar dos casos atuais. mas o feminismo matou muitos homens nas decadas de 70 e 80. é so procurar sobre anarcofeminismo e lesbianismo politico.

Anônimo 3 de março de 2013 00:12

Prezado Amigos,

Pode me chamar aqui de Idiota 2013. Pois bem, a tática mais maligna que as mulheres podem usar para foder sua vida e sua autoestima é justamente fazer com que você sinta ciúmes dela em razão de alguma cantada ou flerte que ela dissimuladamente provocou. Depois da provocação ela fica esperando sua reação...e você como homem vai querer pagar de machão briguento e defensor da pobre flor frágil... no fim pode ser morto, ficar com sequelas e ainda responder um processo criminal por lesão corporal. Namorei e fui noivo por muito tempo, diversas vezes fui vítima da dissimulação de minha "mulher". Por ser equilibrado, só uma vez busquei briga e das outras vezes deixei passar. Mas psicologicamente passei por um inferno, foram anos que me senti um verme...e graças ao bom e sábio Deus, estou livre hoje. Jamais caiam nessa armadilha de brigar por causa de uma biscate...se você morrer ou matar alguém ela não vai ficar ao teu lado. Um fraternal abraço a todos que buscam forças para renascer!

Anônimo 17 de março de 2013 02:37

Segundo o que dizem ,Machismo prega a superioridade do Homem sobre a mulher .

Hipócritas ,e o feminismo prega o que mesmo ?? O feminismo busca a igualdade entre os gêneros ....tá bom ....Sei .

Postar um comentário