Resistindo ao feitiço da paixão

| 4 comments
por Soldado
Texto baseado em Nessahan Alita

A estratégia de Nessahan Alita para os relacionamentos tem dois pontos principais: 1) resistir ao feitiço da paixão; e 2) permitir todos os comportamentos da mulher presenteando-lhe também as conseqüências.

Ambos exigem um contínuo e disciplinado desenvolvimento interior.

O primeiro explico agora. O segundo explico neste link.


Resistindo ao apego

A realidade não mudará para se submeter aos nossos desejos. Temos que trabalhar interiormente no sentido de aceitar a realidade, ainda que esta seja dolorosa. Por exemplo, temos que aceitar as mulheres como estão/são, porque os seres humanos dificilmente mudam pelo próximo, no máximo se adaptam temporariamente.

Nunca deposite sua felicidade numa mulher ou em outra coisa qualquer. Quando você faz isso, destrói as suas perspectivas de liberdade. A dependência do amor feminino pode ser escravizante.
Carlos Romero: Não é o ato da renúncia que importa. O que importa é o espírito da renúncia. Você pode ter muitos bens [ou uma namorada] e não ser apegado a eles [ou a ela], desde que se conscientize de que tudo passa, de que tudo nos chega como empréstimo, porque chegará, um dia, em que teremos de abandoná-los. Ninguém é proprietário de nada, a não ser de sua própria consciência.

A Guerra da Paixão é uma luta interna contra nossos próprios sentimentos: o apego, a paixão, o medo de perder, a dependência de estar perto, de procurar, de telefonar, etc.

Também contra os sonhos, as ilusões, as esperanças irracionais, as crenças absurdas que carregamos, inculcadas desde a infância.

Não há outra alternativa além de dissolver em nosso coração todas as sombras do apego, da paixão e do sentimentalismo.
- O apego é quase todo inconsciente. Você só sente a ponta do iceberg. A parte imperceptível do apego influencia você sutilmente, e se torna explícita quando você está perdendo a mulher. As pessoas apenas se preocupam com as coisas quando as estão perdendo.

- Paixão é qualquer emoção ou sentimento muito forte (amor, ódio, desejo etc.), capaz de alterar o comportamento, o raciocínio, a lucidez. A Paixão é uma compulsão que nos torna cegos e dependentes. O amor romântico-passional é insano e não passa de um disfarce sentimental do instinto animal bruto. O amor passional é muito próximo do ódio por ser irracional, instintivo e animal. É por isso que diferentes formas de Paixão – amor passional e ódio – podem coexistir e costumam suceder-se.

- O sentimentalismo é perigoso, dado o seu imenso poder magnético e hipnótico de seduzir e enganar passando-se por algo sublime e espiritual.

Você não é desapegado, no máximo você está temporariamente desapagado. Desapegar-se é um processo contínuo, disciplinado e lento de desenvolvimento interior.

4 comments

Clayton Mendonça | 16 de setembro de 2012 10:23

Um bom esclarecimento para quem está chegando.

Anônimo 29 de outubro de 2012 00:59

muito bom, continue escrevendo assim!

Anônimo 15 de dezembro de 2012 01:33

adorei, temos de ser duros!

Anônimo 12 de março de 2013 17:50

É sempre muito importante reler Nessahan. Meus parabéns a quem dá continuidade ao Machismo Esclarecido!

Postar um comentário